Imagem da Virgem Maria é queimada no sertão paraibano

Em 05/08/2020

Tempo de leitura: 1 minuto

Uma estátua de Nossa Senhora, mãe de Jesus, foi queimada no centro da cidade de Paulista, município localizado na região do alto sertão do Estado da Paraíba, nesta segunda-feira(03Agosto2020), num ritual realizado por pessoas entoando cânticos.

A queima está sendo considerada pela comunidade católica cristã como um ato de vandalismo. Num vídeo que está sendo publicado em grupos de whatsApp e em aplicativos nas redes sociais, quatro pessoas aparecem ao redor da imagem ardendo em chamas. Durante o momento que a imagem estava sendo queimada é possível ouvir pessoas entoando cânticos e louvores.

Uma mulher que participou do ritual já foi identificada. O caso será encaminhado para instauração de inquérito policial na Delegacia local, para apurar as responsabilidades. A intolerância religiosa se caracteriza pela incapacidade de aceitar e respeitar a religião ou crença do outro. Ela se configura pela discriminação, violência física e ideológica, ou qualquer ato que fira a liberdade de culto.

O Brasil tem normas jurídicas que visam punir a intolerância religiosa. No Brasil, a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, alterada pela Lei nº 9.459, de 15 de maio de 1997, considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões.

Atos como desse tipo estão no Código Penal. O artigo 208 afirma que “escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”. A pena é de detenção, de um mês a um ano, ou multa.


Tags: Código Penal - Artigo 208, Intolerância religiosa, Lei nº 7.716/1989., Lei nº 9.459/1997., Preconceito contra religiões