Luis Arce toma posse como presidente da Bolívia e faz discurso pacificador

Em 09/11/2020

Tempo de leitura: 1 minuto

Novo líder pregou união da nação. Cerimônia teve rituais tradicionais.

O novo presidente da Bolívia, Luis Arce, tomou posse neste domingo (08Novembro2020). Em seu 1º discurso, pregou a união do país.

Arce foi eleito com 55,1% dos votos válidos. Seu principal rival na disputa, o ex-presidente Carlos Mesa, atingiu 29% dos votos, e se recusou a reconhecer a derrota.

O novo presidente esteve ao lado de seu vice, David Choquehuanca. Além dos discursos, a cerimônia foi marcada por rituais de povos tradicionais bolivianos. Durante o discurso, Arce pregou a união disse que o momento representa “o início de uma nova etapa na história do país”.

“A partir de 10 de novembro de 2019, depois de 21 dias em que se escamoteou a vontade popular expressada nas urnas, a Bolívia foi cenário de uma guerra interna e sistemática contra o povo, especialmente os mais humildes”, afirmou Luis Arce.

“Se espalhou morte, medo e discriminação. Encrudesceu o racismo e se usou a pandemia para prorrogar um governo ilegal e ilegítimo. Não é o ódio que impulsiona nossos atos, mas uma paixão pela Justiça”, pontuou Luis Arce.

Choquehuanca citou os indígenas da Bolívia e os povos originários. Ele ressaltou a necessidade de “conciliar ideias da direita e da esquerda”.

Eis os líderes mundiais que estiveram presentes:

  • Alberto Fernández, presidente da Argentina;
  • Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela;
  • Mohammad Yavad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irã;
  • Felipe VI, rei espanhol;
  • Pablo Iglesias, vice-presidente da Espanha e líder do Podemos;
  • Brent McIntosh, subsecretário da Fazenda para Assuntos Internacionais dos Estados Unidos;
  • Iván Duque, presidente da Colômbia;
  • Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai;
  • Martín Torrijos, ex-presidente do Panamá;
  • Wálter Martos, chefe do Conselho de Ministros do Peru;
  • Francisco Carlos Bustillo, chanceler do Uruguai
  • Andrés Allamand, chanceler do Chile.


Em uma rede social, Evo Morales escreveu que hoje “é um dia histórico”. Ex-presidente da Bolívia e do mesmo partido de Arce, ele está exilado na Bolívia.

Hoje, 8 de novembro, é um dia histórico para a posse de @LuchoXBolivia e a recuperação da democracia exatamente um ano após o motim policial em 8 de novembro de 2019. Vencemos a batalha apenas com a consciência do povo, sem violência”, escreveu.


Tags: Alberto Fernández, Andrés Allamand, Bolívia, Brent McIntosh, chanceler da Venezuela, chanceler do Chile., chanceler do Uruguai, chefe do Conselho de Ministros do Peru, Choquehuanca, David Choquehuanca, Evo Morales, ex-presidente Carlos Mesa, ex-presidente do Panamá, Felipe VI, Francisco Carlos Bustillo, Iván Duque, Jorge Arreaza, Luis Arce, Mario Abdo Benítez, Martín Torrijos, ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Yavad Zarif, novo presidente, novo presidente da Bolívia, Pablo Iglesias, posse, presidente da Argentina, presidente da Colômbia, presidente do Paraguai, rei espanhol, subsecretário da Fazenda para Assuntos Internacionais dos Estados Unidos, vice-presidente da Espanha, Wálter Martos