UNINASSAU recebe restaurador Flávio Capitulino e “Bandeira da Terra”

Em 29/09/2020

Tempo de leitura: 4 minutos

Também foram discutidas iniciativas para promover a consciência ambiental em Campina Grande.

A UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Campina Grande, representada pela reitora, Cilene Andrade, recebeu na terça-feira (15Setembro2020) o renomado restaurador de obras de arte paraibano Flávio Capitulino. Na ocasião, foram discutidos futuros projetos em parceria, voltados para Campina Grande, e recebida a “Bandeira do Planeta Terra“, símbolo da ação de conscientização ambiental que Capitulino está lançando, inicialmente, na Paraíba.Segundo Cilene, “receber essa bandeira neste momento em que a UNINASSAU está engajada ao Dia Mundial da Limpeza (19 de setembro), juntamente às demais instituições do grupo Ser Educacional, trouxe uma maior representatividade sobre a importância de se pensar na Terra como uma unidade, sobre a qual todos somos socioambientalmente responsáveis“, destacou.

A “Bandeira do Planeta Terra” tem Flávio Capitulino como principal incentivador no Brasil. Ela está sendo lançada na Paraíba para todo o mundo, como um projeto em defesa do meio ambiente. Capitulino está com viagem marcada para fazer o lançamento da mesma na França, ainda este mês. A visita à UNINASSAU Campina Grande foi viabilizada pelo coordenador do curso de Medicina Veterinária da Instituição, Sebastião Rodrigo.A UNINASSAU já realiza projetos de responsabilidade social voltados para os cuidados com o meio ambiente. Em seu calendário de eventos, estão previstas ações anuais no Dia Mundial da Limpeza, Dia da Árvore e Dia Mundial do Meio Ambiente, por exemplo. A partir da parceria que está sendo firmada com Flávio Capitulino, a Instituição pretende beneficiar Campina Grande com um projeto permanente de conscientização ambiental, tendo como símbolo a “Bandeira do Planeta Terra“.

Preservação do meio ambiente

No início do mês, precisamente na quinta-feira (03Setembro2020) o Prefeito Romero Rodrigues, recebeu em audiência o restaurador de obras de artes Flávio Capitulino, profissional paraibano que se tornou referência mundial em sua área. A pauta da audiência foi o lançamento em Campina Grande (PB) do projeto “Bandeira do Planeta Terra“, de preservação do meio ambiente.

Durante a reunião, realizada na sede do Ipsem, o Prefeito Romero Rodrigues esteve acompanhado do deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), os quais ouviram atentamente os detalhes sobre o projeto concebido por Flávio Capitulino.Basicamente o objetivo principal e que, através da bandeira ou seu símbolo, exposto nos principais pontos turísticos do mundo, possa despertar a consciência ecológica das autoridades e da população, além de apoiar iniciativas da área.

Flávio Capitulino informou já contar com o apoio e patrocínio de grandes instituições e de grupos empresariais internacionais. Na condição de campinense, por força de lhe ter sido outorgado o título de cidadão, o artista natural de Sousa (PB), no alto sertão, escolheu Campina Grande como a plataforma do lançamento mundial do projeto.

Agenda com o Prefeito

 

Romero parabenizou Flávio Capitulino pela iniciativa e já marcou com o restaurador uma agenda de trabalho intensa para viabilizar o lançamento do projeto.

No dia 7 de Setembro, na Praça da Bandeira, o prefeito recebeu formalmente das mãos de Capitulino um kit com material de divulgação do projeto.

Sobre Flávio Capitulino

Natural de Sousa (PB), sertão da Paraíba, Flávio Capitulino é um dos maiores restauradores de obras de arte da atualidade. Pelas suas mãos já passaram quadros de Van Gogh, Leonardo da Vinci, Pablo Picasso, Modigliani, Chagall e Matisse.

Reportagem de VEJA assim o retratou:

Flavio Capitulino nasceu em Sousa, no agreste da Paraíba, e se mudou para Paris com apenas 80 dólares no bolso. Na Europa, foi de faxineiro a dançarino de lambada nas ruas, até chegar a restaurador de obras de arte, sua profissão atual.

O dândi do sertão começou essa carreira por acaso: restaurando o pé de uma mesa de uma madame francesa. De boca em boca, conquistou fama e abriu o próprio ateliê.Sem arrancar grandes admirações por colegas brasileiros, por falta de informação, chegou a reformar grandes quadros do pintor Picasso.  Hoje, Capitulino fatura até 20.000 euros (cerca de 80.000 reais) por mês e faz questão de viver uma vida de estilo extravagante na cidade onde cresceu, Campina Grande, também no sertão da Paraíba.

Com terninho colorido e juba esvoaçante dourado-cajá, ele causa ao saltar de seu BMW conversível para visitar o tradicional reduto popular. Escoltado por um segurança, esse Michael Jackson do sertão é parado para fazer selfies. “Você é o orgulho da Paraíba”, diz um fã.

Quando um desinformado pergunta a outro quem é o exótico conterrâneo, nota-se que a fama pode ser um troço meio maluco: “Não conhece? Ele restaurou quadros de Sheiquispi (sic)”. Até onde se sabe, o bardo inglês William Shakespeare (1564-1616) nunca pintou um quadro. Mas, se algo tão improvável viesse a ser descoberto, não destoaria em nada dos detalhes inacreditáveis da biografia de Flavio Capitulino.

* Redação com Isabelle Monteiro.

Tags: Bandeira da terra, Bandeira do Planeta Terra, Campina Grande PB, Centro Universitário Maurício de Nassau, Dia da Árvore, Dia Mundial da Limpeza, Dia Mundial do Meio Ambiente, Flávio Capitulino, Restaurador de obras de arte, Romero Rodrigues, Tovar Correia Lima, UNINASSAU